Bolo de Amêndoa e Kumquat com Mascarpone



À nossa mesa. Vivem-se os dias que passam. Sentam-se pessoas de sempre, a nossa família e amigos. Na nossa mesa juntam-se pessoas e pratos. Memórias e afectos. Celebram-se momentos.
Uma mesa que pode ser mais solitária em dias mais atarefados, onde cada um se serve de algo rápido, onde há uma fruteira cheia pronta a meter a mão. Mesa que nos acolhe à noite, mesmo tarde, com um prato de sopa. Onde se cortam fatias de pão, sustento e aconchego. A nossa mesa que se enche de fome aos domingos, com mais gente para partilhar as refeições. Onde cabem os assados ricos e sobremesas. Onde se juntam gargalhadas e lanches doces, e se espalham migalhas e nódoas. Mesa cheia é tão bom.

Na nossa mesa comem-se sonhos, histórias, tradições. Contam-se coisas corriqueiras, fala-se de tudo e de nada. Recordam-se outros tempos. E outras mesas. Estendem-se toalhas e pratos de sempre. E partimos à aventura de outros sabores sempre que queremos.
Aproveitam-se os minutos de descanso entre garfadas, e saboreia-se a vida.
E é nela que sempre se recebe quem vem por bem. Que celebramos as pequenas coisas.
Com um bolinho à espera de ser cortado e a vontade de ali ficar um pouco mais. Que o tempo passe bem devagar enquanto ali estamos juntos. À nossa mesa.






Bolo de Amêndoa e Kumquat com Mascarpone
(receita adaptada daqui)

175 gr de kumquats
100 gr de açúcar amarelo
80 gr de amêndoa moída
3 ovos
50 gr de manteiga derretida e fria
125 ml de iogurte natural
150 gr de farinha 
1 colher (chá) de fermento

Cobertura:
125 ml de iogurte grego natural
50 gr de açúcar em pó
125 gr de mascarpone

Decoração:
6-8 kumquats fatiados ou em metades
1 colher (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de amêndoa laminada e tostada
1 colher (sopa) de água


Preparação

Lavar bem os kumquats e colocar numa panela ao lume com água, deixando ferver uns 10 minutos até que amoleçam. Escorrer, deixar arrefecer, cortar em metades e retirar as sementes. Triturar até ficar em polpa e reservar.
Numa taça bater muito bem o açúcar amarelo com os ovos e depois adicionar a amêndoa moída, a manteiga e o iogurte, mexendo muito bem. Juntar a polpa de kumquats e envolver bem na massa.
Por fim adicionar a farinha e fermento e bater até homogéneo.
Colocar a massa numa forma redonda com 20-22cm de diâmetro, untada com manteiga e fundo forrado com papel vegetal antiaderente. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC até cozer.
Enquanto o bolo coze, preparar a cobertura colocando todos os ingredientes numa taça e bater muito bem até ficar cremoso e homogéneo. Reservar no frio até usar.
Depois de desenformar o bolo, deixar arrefecer completamente. Espalhar a cobertura com a ajuda de uma espátula.
Para a decoração levar ao lume todos os ingredientes, dentro dum tachinho, por alguns minutos até caramelizarem. Decorar o bolo a gosto e servir.

Bom Apetite!




Risotto Primaveril de Ervilhas



Risotto. Palavra linda. Soa tão bem quanto me sabe aos sentidos. De facto a cremosidade e a textura deste prato envolvem todos os meus sentidos, e é das coisas que mais prazer me dá preparar, como prato principal, e de preferência vegetariano. Vamos mexendo com a colher de pau, devagar, devagarinho, ao ritmo de uma música que nos embala. O cheiro pede para provar, o queijo parmesão ou da ilha rala-se com generosidade e a colher não pára. Só na mesa.

Ao ritmo da estação, fazem-se risottos com gosto a ervilhas, favas e com o que de bom vem da terra. Descascam-se umas ervilhas frescas acabadas de apanhar, caldo ao lume a fervilhar e a vontade de entrar na dança do risotto. É um instante, até o prato ficar colorido de verde e de flores. As flores do cebolinho que inundam os canteiros e os vasos. Primavera à mesa num prato de conforto.
Queijo a postos, e bom apetite.






Risotto Primaveril de Ervilhas

Para o puré de ervilhas frescas:
1 colher (sopa) de manteiga
150 gr de ervilhas frescas
pitada de sal
150 ml de água

Para o risotto:
1/2 cebola picada
1 dente de alho picado
azeite q.b.
1 chávena de arroz para risotto
1/4 chávena de vinho branco
700-900 ml de caldo de legumes com coentros frescos
3/4 chávena de ervilhas frescas
sumo de meio limão
45 gr de parmesão ralado

Para servir:
parmesão ralado a gosto
flores de cebolinho q.b.
cebolinho picado q.b.


Preparação

Começar por preparar o puré de ervilhas, colocando a manteiga e as ervilhas num tachinho e deixando saltear uns 5 minutos. Adicionar uma pitada de sal, a água e deixar cozinhar em lume brando por 5-10 minutos até as ervilhas ficarem ligeiramente tenras. Triturar tudo com a varinha mágica ou num liquidificador e reservar o puré.
Aquecer o caldo de legumes (que pode ser caseiro ou de compra, e adicionar a ele um ramo de coentros frescos para aromatizar), e manter bem quente durante a preparação do risotto.
Num tacho colocar um fio de azeite generoso, e a cebola e o alho picados, levando ao lume e mexendo até a cebola ficar tenra e translúcida.
Adicionar o arroz e mexer durante uns 2 minutos. Refrescar com o vinho, deixando ferver e que o álcool se evapore e o líquido quase desapareça.
Aos poucos ir juntando conchas de caldo a ferver, e ir mexendo até o caldo desaparecer. Juntar mais caldo à medida que o arroz vai cozendo e o caldo é absorvido.
A meio da cozedura juntar as ervilhas frescas, deixando cozer.
Assim que o risotto estiver cozido, juntar o puré de ervilhas reservado e mexer muito bem. Adicionar o sumo de limão e o parmesão, apagar o lume e envolver. 
Por norma não adiciono sal, o caldo e o parmesão temperam na perfeição, mas ajustem ao vosso gosto com sal e pimenta se necessário.
Servir o risotto de imediato, com flores de cebolinho, cebolinho picado e parmesão a gosto.

Bom Apetite!




Cheesecake de Forno com Morangos


Os morangos. Agora que estão mesmo docinhos, são desculpa para comer a toda a hora. Desde as manhãs com smoothies e taças de fruta com granola e iogurte, até às sobremesas ao natural durante a semana e mais docinhas nos domingos em família.
Até em saladas verdes eles brilham. Com manjericão e queijo, adoro a combinação de sabores.
É a magia da estação à mesa. 

Entre os desejos de coisas doces, os morangos ganham força e querem ser reis à mesa. Pequenos e doces, com um ligeiro travo ácido perfeito, nacionais e biológicos. Enquanto os da horta vão começando aos poucos a corar ao sol, vamos comendo os do mercado. Ou os que chegam por mãos amigas. 
A combinação com queijo num cheesecake de forno, é sempre uma promessa de Primavera à mesa, onde se erguem morangos em torre e sobre eles salpicamos o coulis em forma de pintura rabiscada. Para saborear com tempo, no tempo dos morangos. 

 O cake stand lindo é da colecção da Patrícia 'Cake Stand by Coco & Baunilha'. 





Cheesecake de Forno com Morangos

Base:
250 gr de bolachas digestivas
75 gr de manteiga derretida
1/2 colher (chá) de canela
1/2 colher (chá) de gengibre

Recheio:
4 ovos separados
125 gr de açúcar
250 ml de iogurte natural
2 colheres (sopa) de farinha
250 gr de queijo creme
morangos q.b. para servir

Coulis:
200 gr de morangos cortados
75 gr de açúcar 


Preparação

Untar ligeiramente uma forma redonda (das que abrem na lateral) de 20cm de diâmetro.
Preparar a base, triturando as bolachas em pó e misturando os restantes ingredientes.
Espalhar na base da forma preparada, e pressionar bem, levando ao frio.
Para o recheio, bater as gemas com o açúcar até ficar uma mistura bem cremosa. Adicionar depois o iogurte e bater bem. Adicionar a farinha e o queijo creme aos poucos de cada vez e ir sempre batendo muito bem até ficar homogéneo.
Por fim bater as claras em castelo e incorporar na mistura, delicadamente.
Colocar a mistura na forma que já tem a base e levar ao forno pré-aquecido a 180ºC, durante uns 45 minutos (ou até ficar firme). Pode ser necessário colocar uma folha de papel de alumínio a meio da cozedura para não queimar a superfície.
Deixar o cheesecake dentro do forno, depois de desligado durante uma hora. E depois levar ao frio.
Enquanto isso preparar o coulis, levando ao lume num tachinho, os morangos em pedaços com o açúcar, deixando cozinhar por uns 5 minutos, até amolecer e formar uma calda mais espessa. Triturar com a varinha mágica e deixar arrefecer antes de usar.
Servir o cheesecake bem fresco, com morangos e com a calda.

Bom Apetite!