Brioche Banoffee



A verdade é que eu adoro pão. Todo o tipo de pão me sabe bem aos olhos e ao palato. É dos alimentos que mais me alimenta, pela sensação de conforto como a de uma torrada quente com manteiga, pelas refeições que desenrasca em sanduíches abertas ou tartines quentes, pelos belos dos petiscos que acompanha em forma de ritual, por ser um elemento presente na nossa mesa desde sempre. E pelo acto de o fazer em casa. Não há nada como amassar um pão, ver a massa levedar e sentir o cheiro quente do pão ao sair do forno. Crosta crocante e um miolo irresistível. Ainda quente. Passem a manteiga por favor, que eu sou uma mulher feliz.

Cresci a ver a minha avó a amassar pão e broa. Sem pressas. Pão de verdade. E a cozer no forno a lenha. Adorava as sextas-feiras quando chegava a casa dos avós, para além da sopa à lavrador feita numa fogueira, havia pão acabado de fazer, quentinho e maravilhoso. São memórias que são como um abraço, para o coração e estômago.
E apesar do tempo correr, gosto de ter esse prazer sempre que posso. O de fazer pão. Simples, salgado ou doce. Adoro pão doce, massas lêvedas e brioche amanteigado. Fatias de prazer e sustento, que nascem das nossas mãos. Que alimentam a alma.

Preparei este Brioche Banoffee já a pensar na altura da Páscoa. Época de folares e pães doces. E da partilha dos mesmos. Adoro. Tenho sempre bolo folar em casa, fresco ou congelado, e sempre caseiro (mesmo que não tenha sido feito por mim). Os bolos das Alhadas aqui da zona são deliciosos em fatias torradas. E o bolo de Ançã também. Há pouco tempo tive o prazer de preparar folares tradicionais, doces e bem simples em casa de uma amiga que tem um enorme forno a lenha. Cozemos os folares num dia bem passado e feliz (acho que sou sempre mais feliz quando preparo um bolo, ou acendo o forno). Foi uma fornada enorme, que encheu a casa de sorrisos, perfume a pão doce e um lanche de aconchego.
Este brioche é receita do livro "Aimee's Perfect Bakes" da Aimee Twigger. Basta lembrarem-se dos rolinhos de canela e leite dourado para entenderem que só pode ser receita boa. Das que me faz escrever sobre memórias, afectos e dias felizes.







Brioche Banoffee

para a massa:
500 gr de farinha de trigo
60 gr de açúcar mascavado claro
1 e 1/2 colher (chá) de sal
2 e 1/2 colher (chá) de fermento de padeiro seco
3 ovos
100 ml de leite
3 colheres (sopa) de doce de leite
110 gr de manteiga amolecida
50-100 ml de água

para o recheio:
60 gr de manteiga derretida
60 gr de açúcar mascavado claro
2 bananas descascadas e em rodelas
4 colheres (sopa) de doce de leite


Preparação

Numa taça colocar a farinha, açúcar, sal e fermento, tendo o cuidado de colocar o fermento do lado oposto ao do sal. Juntar os ovos, leite e doce de leite e começar a bater a massa na batedeira eléctrica, com o gancho da massa colocado. Adicionar 50 ml de água e deixar bater durante 2 minutos.
Em seguida juntar a manteiga, uma colherada de cada vez, enquanto continua a bater a massa. Se achar a massa demasiado pesada junte mais água aos poucos. 
Deixar amassar bem a massa durante uns 5 minutos.
Depois de amassada, deixar levedar por 1-2 horas, num local quente. 
Depois de levedada, colocar a massa numa superfície enfarinhada. Amassar com as mãos e depois com a ajuda de um rolo esticar a massa num rectângulo longo e fino.
Com um pincel, espalhar a manteiga derretida pela superfície da massa. Salpicar o açúcar por cima, e colocar as rodelas de banana, de forma a ocupar toda a superfície. Em seguida colocar o doce de leite por cima com ajuda de uma colher. 
Enrolar a massa a partir do lado mais largo do rectângulo, até formar um rolo. Cortar o rolo ao meio no sentido do comprimento. E enrolar as duas tiras de rolo uma na outra, dando assim forma ao brioche.
Colocar numa forma untada e forrada com papel vegetal e deixar levedar por mais 40 minutos.
Pré-aquecer o forno a 180ºC. Levar o brioche ao forno até cozer, uns 35-45 minutos.
Desenformar e servir morno ou frio.

Bom Apetite!



29 comentários:

  1. Aii sweetie...morri com a última foto!!! Dava tudo para saborear essa fatia maravilhosa. Também não resisto a pão nem a tudo o que se chama brioche :)
    Lindos fotos ♥
    Bjinhoos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tu que fazes brioches muito melhores que eu :)
      Este loaf é divinal, com o doce de leite e a banana, adoro.
      Um beijinho sweetie.

      Eliminar
  2. uau...tão bonito, tão bom, tão tudo...fiquei com desejos! ;)
    Miam!
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens de passar por cá e faço um para as duas!
      Um beijinho.

      Eliminar
  3. Sou como tu, Inês, uma apreciadora de todo o tipo de pão, mais salgado ou mais doce, desde que não venha num pacote de plástico. Ao ler as tuas memórias recordei-me das minhas. A minha mãe é alentejana, pelo que havia sempre pão na mesa, e o meu pai vem da serra da Lousã, de onde também guardo essas memórias da broa de milho cozida em forno de lenha na casa dos avós.
    Ah, e as fotografias estão lindas e transmitem essa sensação de conforto que expressaste tão bem com as ruas palavras.
    Um beijinho grande, Paula

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paula, o que eu adoro pão alentejano! São tão boas estas memórias. E ainda ando a pensar naquele teu pão escuro com a cevada, que lindo e deve ser maravilhoso. Tudo evoca essa sesaçãod e conforto e família.
      Um beijinho enorme.

      Eliminar
  4. Que maravilha, Inês! Também adoro pão e todo o processo que o envolve e não há nada que se compare a uma fatia de pão ainda morno. Este está tão lindo como apetitoso.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Márcia, sabe tão bem não é?
      Um beijinho.

      Eliminar
  5. Que post maravilhoso e que recordações tão boas que me trazes querida Inês! Eu também sou desse tempo, em que o pão que se comia em casa era todo feito no forno e em grandes quantidades. Ainda me lembro tão bem do cheiro que se espalhava por toda a casa em dia de fazer pão. E todo o ritual, o aquecer o forno até ficar com as paredes brancas, o amassar o pão, levedar, tender e no final deliciar-me com uma fatia morna com manteiga. Tão bom! E a sopa à lavrador de que falas, também a minha avó e a minha mãe a faziam, numa panela de ferro que começava a ferver ao lume logo pela manhã. Nenhuma sopa se compara com aquela em termos de sabor. E o mesmo acontece com o pão, que também faço ocasionalmente em casa, mas nunca terá aquele sabor maravilhoso.
    E os folares! Adoro os folares da nossa zona, são tão bons cortados em fatias e torrados. Que maravilha.
    Mas vamos ao teu delicioso Brioche Banoffee. Opah, que maravilha, só mesmo a Aimee para trazer uma receitinha destas. Come-se com os olhos e depois essas imagens lindas que nos convidam a ir meter as mãos na massa. Amei!
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que te traz boas recordações. São parecidas as nossas, talvez por termos crescido pela mesma zona. Nenhuma sopa se compara, nem nenhum pão, mas vamos fazendo e saboreando memórias da melhor forma. Eu sabia que tu conhecias os folares da nossa zona hehe :)
      Um beijinho.

      Eliminar
  6. Adoro pão brioche e esse com esse recheio deve ter ficado divinal.

    Beijinhos,
    Clarinha
    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2017/04/um-mes-com-jamie-oliver-e-uma-quiche.html

    ResponderEliminar
  7. sou louca por pão, também, adoro pão acabadinho de cozer com manteiga a derreter em cima, pão duro transformado em torradas ou num aconchegante pudim, pão a acompanhar belos enchidos nacionais ou queijo... enfim, pão e eu somos bem amigos, e também só o quero feito em casa. Não cresci a ver ninguém fazer pão, sou produto da cidade vinda de outros produtos da cidade, mas o meu miúdo cresceu a ver os pais fazerem o próprio pão e espero que isso o torne mais consciente daquilo que mete á boca, dos sabores reais e bons da comida feita pelas próprias mãos. Os brioches de leite doruado, já os roubei daqui para fazer duas receitas distintas e que o meu puto ajudou a fazer, ele adorou esses brioches, acho que vai adorar este também!!
    https://bloglairdutemps.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pão é um fiel companheiro, a par dos petiscos que acompanha e de outras coisas tão boas!
      Já vi os rolinhos com chocolate, acho que foi mesmo boa ideia!

      Eliminar
  8. Que fotos lindas e que receita fantástica! De certeza que estava uma delicia :P

    De aprendiz a chef

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava delicioso! E desapareceu num instante :)

      Eliminar
  9. Que maravilha de brioche Inês, tem um aspecto tão irresistível :)
    Gosto dessas memórias de fazer pão e do forno a lenha, no entanto as únicas lembranças que tenho assim são do tempo passado no Alentejo em infância. Não são assim tantas mas também são boas!
    O teu brioche parece uma babka, até na maneira de preparar (e não sei qual a diferença) mas gosto muito, do brioche e das fotografias bonitas :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Babka também é tão bom! Ando sempre a pensar em babka de chocolate :) só penso em comida!
      Adoro este tipo de massas de pão, brioche e por aí fora. Que venham muitos para as nossas mesas.
      Um beijinho.

      Eliminar
  10. Que maravilha, Inês! Cozinha é mesmo isto... são memórias, é conforto, são lembranças da infância, é prazer, é felicidade. Estes são os ingredientes principais. Tu sabes como eu adoro as memórias que a comida me traz. E este teu post está delicioso. Percebo tão bem essa sensação de conforto. As minhas avós não faziam pão porque o pão da padaria da aldeia era maravilhoso. Mas faziam folares, bôlas de azeite e de água fria, filhoses, bolinhos de amêndoa, "farta brutos" e tantas coisas mais que eu via amassar, tender, ficar a levedar e levar a cozer nos fornos a lenha. E a sopa na panela de ferro na lareira....!!! ❤ Por isso, obrigada por este teu post que acabou de me trazer essas memórias de conforto. Quanto ao teu brioche, é a minha cara! Vou experimentar! E as fotos!!!!❤ Que lindas! Adorei! Grande beijinho��

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo querida. É tudo isso que cabe dentro de nós e nos traz magia e conforto.
      Obrigada pelas tuas palavras, gostei tanto de te ler :)
      E fiquei a pensar nessas bôlas de azeite, filhoses, bolinhos de amêndoa, tantas coisas boas.
      Um grande beijinho.

      Eliminar
  11. Sou mais uma amante incondicional de pão! Muito obrigada pela doce receita, é sempre maravilhoso podermos fazer o nosso próprio pão. Beijinho grande

    Thebrunettetofu.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  12. Essas lembranças de infância são algo que tb guardo comigo, são maravilhosas... Assim como deve de ser esse teu pão. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A comida e as memórias sempre ligadas, tão bom.
      Um beijinho.

      Eliminar
  13. A felicidade de fazer pão... a melhor coisa do mundo. A magia de o ver crescer, de o cheirar, de o partilhar. Um dia partilhamos um pão caseiro juntas, alinhas? ;) Duas meninas no auge da felicidade :)
    Esse pão brioche de banana é de morrer Inês!
    Um abraço
    sara

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que duas meninas felizes! Quero pois, essa partilha de um alimento tão bom como o pão. E a tua companhia.
      Um beijinho minha querida.

      Eliminar
  14. inês, puseste o pessoal todo a lamber o ecrã do computador com estas fotografias... :D

    ResponderEliminar
  15. Como são boas todas estas recordações!
    Como é bom sonhar com folares de páscoa no forno a lenha!
    Em casa da minha avó paterna sempre vi o mesmo! E ainda é feita lá a broa sempre :)
    Fica com um sabor diferente! :)
    Este brioche está uma verdadeira tentação!
    Lindo, guloso e perfeito!
    Acho mesmo que nos deixaste a todos a salivar.
    Lindas imagens!
    (Temos que combinar o almoço/jantar, onde quiseres :p)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  16. Que inspiração Inês! Ainda não domino a arte dos pães, mas quando quero inspiração é só vir por aqui e ver suas receitas, uma mais maravilhosa que a outra. Aspecto lindo e fotos divinas!
    Acredito que esse brioche deve ter ficado espetacular, pois a torta banoffee em si já é muito boa, em forma de brioche então.. :)
    Grande beijo!

    ResponderEliminar